Dez poemas do livro “Intervalo Aberto”


A paixão se exibe
            em forma de drama:
o Capibaribe
beija o Beberibe
            rolando na lama.



Gotas de loucura
            pingo na razão.
Quanto tempo dura
essa conjuntura
            de desconexão?



Me fiz mais humano
            tentando ser menos.
Grandeza, que engano...
Eu sou soberano
            em gestos pequenos.



Quero enloucrescer
            de todas as formas.
Desreconhecer.
Me dessubmeter
            de todas as normas.



Alar-se

Quem voa diz: se asas quiseres
— siga meu conselho —
corte as raízes que tiveres.



¿Qué pasa, corazón?

Vê-la anuvia meus sentidos:
é como um perfume
entrando nos meus ouvidos.



Sistema

É preciso ter coragem
pra deixar de ser
só mais uma engrenagem.



Pobre trova voadora
teu lugar é no papel.
Pobre ave trovadora
não te encaixas neste céu.



E que o vento leve a lavra
que restou do epicentro:
a pólvora da palavra
que dilacera por dentro.




Calendário

Maio fecha abril.



Link para adquirir Intervalo Aberto (eBook Kindle).